síndrome de dumping

O que é síndrome de dumping?

A cirurgia bariátrica é uma das operações mais procuradas no Brasil e os dados do último levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Metabólica e Bariátrica (SBCBM) comprovam isso. De acordo com o documento, em percentual, o número de cirurgias realizadas cresceu cerca de 85% nos últimos anos. Mas, então, qual é a relação disso com a síndrome de dumping?

Na verdade, depois da cirurgia bariátrica, alguns pacientes manifestam esse distúrbio por conta da transformação anatômica ocorrida na região do estômago. Dessa forma, os alimentos passam a transitar com maior rapidez para o intestino. Neste artigo explico mais sobre os sintomas, então, aproveite a leitura!

O que é síndrome de dumping?

Trata-se de um de mal-estar bem particular que ocorre no pós-cirúrgico. Normalmente os sinais são marcados por desconforto abdominal, fraqueza, queda de pressão, náusea, taquicardia, diarreia, suor excessivo, tremores, vertigem, tonturas, palidez e até desmaio.

Isso acontece depois do corte ou redução do reservatório estomacal, que envolve interligação entre intestino delgado e estômago. Em outras palavras, todo trânsito alimentar é reformulado.

Então, na medida que os pacientes consomem altas quantidades de gorduras, açucares e carboidratos, depois da operação, os transtornos surgem, uma vez que a rápida concentração desses elementos força o intestino a absorver mais água para dissolvê-los.

Como evita-la?

A síndrome de dumping não é uma condição determinante depois da cirurgia bariátrica, portanto, nem todos os pacientes sofrem com esse transtorno.

Além do mais, algumas técnicas ajudam a reduzir os sintomas e isso favorece a qualidade durante recuperação do indivíduo. Mas, apesar de toda essa informação positiva, ressaltamos que o paciente deve fazer a parte dele, evitando o consumo de doces, carboidratos e gorduras.

Aliado a esses novos hábitos, também aconselhamos fracionar os alimentos, evitar a ingestão de líquidos durante as refeições, mastigar as porções corretamente e aumentar o consumo de fibras.

Quando é o momento de procurar ajuda médica?

Essa síndrome normalmente surge depois de uma cirurgia bariátrica, cuja finalidade é a redução de peso. No entanto, ela também pode aparecer em pessoas que não passaram por esse tipo de intervenção como os diabéticos ou pacientes portadores da Síndrome de Zollinger-Ellison, por exemplo.

Dessa maneira, todos aqueles que apresentam os sintomas da síndrome de dumping devem procurar ajuda médica, mesmo que não tenham passado pelo procedimento cirúrgico de diminuição de peso.

Na mesma lista, também incluímos os indivíduos que perderam peso rapidamente e apresentam indícios semelhantes. Além disso, é claro, as pessoas que se submeteram à operação e perceberam a persistência dos sinais, mesmo seguindo corretamente as orientações do especialista.

Como é feito o tratamento?

O médico leva em consideração o histórico do paciente para, então, prescrever os ajustes na dieta, feitos por um nutricionista. Entretanto, dependendo da situação, o uso de medicamentos também pode ser sugerido para diminuir os sintomas. Já nos casos mais graves, o especialista realiza a cirurgia no esôfago a fim de fortalecer o músculo cardia, que fica entre o estômago e intestino.

Quando há complicações, o tratamento da síndrome de dumping é necessário para ajustar o que precisa ser feito e evitar tormentos mais sérios como desnutrição e anemia. Por isso, esses sinais devem ser observados, no intuito de que o paciente possa tratá-lo no momento oportuno.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp