Pâncreas

Pâncreas: 5 coisas que provavelmente você não saiba

Você até poderia viver sem seu pâncreas, mas não seria fácil. Só para começar, por exemplo, você precisaria de doses diárias de insulina, pois a falta do pâncreas te faria desenvolver diabetes. A ajuda de pílulas de enzima também seria necessária para ajudar a digerir os alimentos. 

Com esses poucos exemplos, fica claro que este órgão de 15 centímetros de comprimento, localizado atrás do estômago, tem funções cruciais. É por isso que doenças como câncer de pâncreas e pancreatite costumam ser tão devastadoras. Quer saber outros fatos curiosos sobre o órgão? Acompanhe.

1. Pâncreas significa “toda a carne” em grego

Por volta de 300 a.C., um cirurgião na Grécia antiga, chamado Herófilo, tornou-se a primeira pessoa a descrever formalmente o pâncreas como uma glândula. No entanto, o órgão só recebeu esse nome cerca de 400 anos depois, quando outro cirurgião e anatomista grego chamado Ruphos o apelidou de pankreas, que significa “toda a carne” – possivelmente devido à falta de osso ou cartilagem.

2. Funciona como uma glândula endócrina e exócrina

Embora a comida nunca entre no pâncreas, o órgão desempenha um papel fundamental na digestão. Ele produz o fluido pancreático, que é canalizado através do ducto pancreático para o duodeno. Uma vez no trato digestivo, as enzimas do fluido ajudam a quebrar a gordura, as proteínas e os carboidratos. 

Ao enviar uma substância através de canais para outras partes do corpo, ela funciona como uma glândula exócrina. Ao mesmo tempo, também funciona como uma glândula endócrina ao secretar dois hormônios diretamente na corrente sanguínea para ajudar a controlar o açúcar no sangue. A insulina é liberada quando você tem muito açúcar, e o glucagon é liberado quando você não tem açúcar suficiente.

3. O pâncreas pode “saborear” o açúcar

O pâncreas tem células receptoras gustativas que permitem sentir a presença de açúcar. Pode “saborear” adoçantes artificiais também. No entanto, ao contrário das papilas gustativas em nossa língua, ela não retransmite essas sensações ao cérebro. Em vez disso, essa informação sensorial ajuda o pâncreas a equilibrar os hormônios e manter os níveis saudáveis ​​de glicose no corpo.

4. Diabetes é o resultado de danos nas células pancreáticas

Por razões que permanecem um mistério científico, as pessoas com diabetes tipo 1 têm sistemas imunológicos que atacam as células produtoras de insulina no pâncreas. Isso impede que as células produzam insulina e, sem a insulina, outras células não conseguem acessar a glicose na corrente sanguínea em busca de energia. O açúcar, em seguida, se acumula na corrente sanguínea. 

Pessoas com diabetes tipo 2, por outro lado, ainda podem produzir insulina, mas não de forma suficiente. Suas células se tornam resistentes à insulina (geralmente como resultado da obesidade), o que faz com que a glicose se acumule na corrente sanguínea.

5. O pâncreas pode se digerir

Pancreatite refere-se à inflamação do pâncreas, mas o mais alarmante é que as enzimas digestivas na glândula estão descontroladas e “digerindo o próprio pâncreas”. O consumo pesado de álcool é a causa mais comum da doença, mas outras causas podem incluir cálculos biliares, fibrose cística ou altos níveis de gorduras ou cálcio no sangue. 

A maioria das pessoas com pancreatite aguda acaba no hospital, e a condição geralmente desaparece em alguns dias. A pancreatite crônica pode resultar em complicações mais sérias.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp