Obesidade na adolescência

Obesidade na adolescência: quando a cirurgia bariátrica é indicada?

A obesidade infantil emergiu como um dos mais importantes problemas de saúde pública nos últimos anos. Quase um quinto dos adolescentes nos Estados Unidos são obesos e aproximadamente 7% têm obesidade grave. Crianças e adolescentes com obesidade grave correm risco de comorbidades importantes como, por exemplo, apneia obstrutiva do sono, diabetes, hipertensão e hipertrofia cardíaca. Quem sofre com obesidade na adolescência severa quase sempre permanecem na faixa de obesidade quando adultas e 65% terão obesidade classe III (IMC ≥ 40 kg/m2). Além disso, a obesidade na infância gera mais complicações de saúde e maior mortalidade em comparação com o desenvolvimento da doença durante a vida adulta. Portanto, o tratamento que visa atingir a perda de peso durante a infância e adolescência produz bons resultados de saúde para longo prazo. Algumas opções médicas consistem em modificações no estilo de vida para apoiar mudanças na dieta e atividade física. Elas têm o objetivos de reduzir a ingestão calórica e aumentar o gasto energético. Dessa forma, são tratamento de primeira linha para crianças e adolescentes com obesidade. Há crescente evidência das consequências adversas a longo prazo da obesidade adolescente grave. Além disso, é baixa a eficácia das opções não cirúrgicas para perda de peso. Por outro lado, há um registro demonstrado de segurança e eficácia dos procedimentos bariátricos em adultos. Por isso, tem havido um interesse crescente em cirurgia bariátrica para adolescentes com obesidade severa.

Indicações

Especialistas em obesidade pediátrica e cirurgia bariátrica recomendam cirurgia bariátrica para adolescentes, em casos específicos:
  • IMC ≥ 35 kg/m2 e uma comorbidade grave que tenha efeitos significativos a curto prazo na saúde. Apneia obstrutiva do sono moderada a grave, diabetes mellitus tipo 2 ou esteato-hepatite grave e progressiva, por exemplo;
  • IMC ≥ 40 kg/m2 com comorbidades menores.
Outros critérios importantes para a seleção de candidatos também são maturidade física, falta de causas de obesidade medicamente corrigíveis e maturidade emocional. A maioria dos especialistas também concorda que o adolescente precisa ter falhado nas tentativas de perder peso pela intervenção no estilo de vida.

Contraindicações

As contraindicações à cirurgia bariátrica são:
  • problema contínuo de abuso de substâncias (no ano anterior);
  • condições médicas, psiquiátricas, psicossociais ou cognitivas que impedem a adesão a regimes alimentares. Além de medicamentos no pós-operatório ou prejudicam a capacidade decisória.
A cirurgia para perda de peso em adolescentes deve ser realizada no contexto de um programa multidisciplinar. São, portanto, necessários conhecimentos específicos em obesidade pediátrica, cirurgia bariátrica, nutrição e psicologia. A avaliação para procedimentos de perda de peso inclui também a avaliação da ocorrência e gravidade de doenças coexistentes. Os dados existentes demonstram que a cirurgia bariátrica em adolescentes propícia reduções clinicamente importantes no peso e no IMC na maioria dos indivíduos. Além disso, evidenciou, também, melhora de doenças relacionadas à obesidade, como diabetes, apneia obstrutiva do sono, depressão e qualidade de vida também. A informação sobre os resultados a longo prazo (mais de dois anos) é limitada, mas a perda de peso parece ser sustentada na maioria dos casos. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp