obesidade mórbida

Tudo que você precisa saber sobre obesidade mórbida

No Brasil, estima-se que entre 0,5% a 1% da população tenha obesidade grau III, ou obesidade mórbida. Esse número, entretanto, já foi muito menor. Desde a década de 70 até hoje, estima-se que a quantidade de obesos mórbidos no Brasil aumentou 255%. A obesidade mórbida também é comum nos Estados Unidos, afetando mais de 7% das mulheres e pelo menos 5% dos homens. Lá, a prevalência de obesidade grau III é de cerca de 4,7% da população.

Definição de obesidade mórbida

Assim como no excesso de peso, a definição médica para obesidade depende do cálculo do IMC. Para ser classificado como obeso, o indivíduo deve apresentar IMC igual ou superior a 30,0. Um IMC de 40,0 ou superior é classificado como obesidade mórbida. É, então, recomendado pelas diretrizes nacionais como ponto de corte para identificar indivíduos elegíveis à cirurgia bariátrica. Dessa forma, a obesidade mórbida ocorre quando uma pessoa tem quantidade extrema de excesso de gordura corporal e um índice de massa corporal, ou IMC, maior que 35. O IMC é uma escala que ajuda médicos e outros profissionais de saúde a determinar se uma pessoa está dentro de uma faixa de peso saudável. O IMC é classificado da seguinte forma: Normal: 19,0 a 24,9 Excesso de peso: 25,0 a 29,9 Obesidade estágio 1: 30,0 a 34,9 Obesidade estágio 2: 35,0 a 39,9 Obesidade mórbida estágio 3: 40,0 ou superior Quando uma pessoa é obesa mórbida, corre um risco maior de sofrer de doenças cardíacas e outras que afetam diretamente a qualidade de vida. Sofre risco significativo para a vida, visto que pode ser acometida de: – pressão alta; – diabetes; – doença da vesícula biliar; – cancros ginecológicos e outros; – lipídios no sangue; – artrite; – síndrome da apneia do sono; – morte prematura.

Cirurgia da perda de peso para tratar a obesidade mórbida

Uma vez que há alta incidência de falhas de métodos não cirúrgicos de controle de peso em obesos mórbidos, os muitos tipos de cirurgia para perda de peso são considerados mais eficazes no tratamento para indivíduos obesos graves. Em 1991, um painel de desenvolvimento de consenso do National Institutes of Health, nos Estados Unidos, endossou totalmente a cirurgia restritiva gástrica como tratamento apropriado para portadores de obesidade clinicamente grave. Além disso, os riscos de não fazer uma cirurgia superam em muito os da própria cirurgia. A cirurgia para perda de peso, no entanto, é um processo. O procedimento é apenas uma peça do quebra-cabeça. Cuidados posteriores, mudança de estilo de vida, bem como suporte social são outros passos importantes para garantir a perda de peso prolongada e sustentada.

Fatores de risco

Enquanto quase todos podem se tornar obesos mórbidos, certos fatores colocam uma pessoa em risco maior do que outras. Em seguida, conheça quais são eles.

Fatores genéticos

Algumas pesquisas indicam que pessoas com histórico familiar de obesidade ou obesidade mórbida têm maior probabilidade de se tornarem obesas mórbidas.

Hábitos pessoais

Os alimentos que uma pessoa escolhe consumir e o nível de atividades que pratica interferem no peso do corpo, podendo ou não contribuir para o sobrepeso ou obesidade.

Fatores mentais

O estresse e a ansiedade podem favorecer o ganho de peso, pois podem levar o corpo a produzir mais o hormônio do estresse, cortisol. O cortisol leva ao armazenamento de gordura e, consequentemente, aumento de peso.

Hábitos do sono

A falta de sono é outro fator que contribui para o ganho de peso.

Ser mulher

Muitas mulheres têm problemas para perder peso durante a gravidez e tendem a ganhar peso durante a menopausa.

Problemas médicos

Alguns problemas médicos podem causar obesidade como, por exemplo, a síndrome de Cushing e a síndrome de Prader-Willi.

Medicamentos

Antidepressivos e betabloqueadores são apenas alguns dos medicamentos que podem causar ganho de peso.

Envelhecimento

À medida que os adultos envelhecem, o metabolismo diminui e aumentam as chances de ganho de peso. Além disso, o estilo de vida sedentário proporciona o mesmo efeito. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp