cisto hepático

O que é o cisto hepático?

O diagnóstico de um cisto sempre traz preocupação e angústia para o paciente. Porém, nem sempre é grave ou provoca sintomas e dificilmente necessita de tratamento, como é o caso daquele que surge no fígado, chamado de cisto hepático.

Você já ouviu falar nele? Sabe como é causado? Caso não, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre a condição.

Entenda mais sobre o cisto hepático

Trata-se de uma condição que se caracteriza pela formação de pequenas bolhas preenchidas por líquido no interior do fígado. Além de ser de desenvolvimento lento, podem estar presentes desde o nascimento.

Ainda, o diagnóstico desses cistos é relativamente comum, estando presente em cerca de 20% da população, principalmente nos mais idosos. Porém, como dificilmente provocam sintomas, costumam ser descobertos acidentalmente através de uma cirurgia abdominal ou exames de imagem.

Embora não seja uma condição tipicamente grave e nem indique um câncer de fígado, o cisto hepático pode ser perigoso, especialmente se aumentar de tamanho ao longo do tempo. Por isso, o tratamento mais indicado costuma ser o acompanhamento do quadro.

Conheça os principais tipos de cisto

O cisto hepático pode se manifestar de diferentes formas que estão relacionadas com o agente causador. A seguir, explicamos os principais pontos sobre cada um deles:

  • cisto simples (hemangioma): é o tipo mais comum e costuma ser menor que cinco centímetros. Geralmente, não provoca sintomas ou complicações, o que elimina a necessidade de tratamento;
  • hidático: provocado por parasitas presentes na água e/ou em alimentos contaminados. Assim, alcançam o fígado e formam nódulos que crescem, podendo desenvolver sintomas ou não;
  • neoplásico: é a versão mais rara de cisto hepático, podendo ser benigno ou maligno. Esse tipo de cisto costuma ser múltiplo e de grande tamanho.

Quais os sintomas?

Geralmente, os cistos no fígado são assintomáticos, mas podem provocar efeitos no interior do órgão. A depender do seu tamanho, podem causar uma pressão excessiva nos vasos sanguíneos ou em outros órgãos do trato digestivo, causando azia ou má digestão.

Ainda, os pacientes também podem sentir dor na parte superior da região gástrica, inchaço abdominal ou sensação de plenitude. Caso o cisto comece a sangrar, pode ocasionar dor aguda e repentina na parte superior do estômago.

Ademais, em casos raros, o cisto hepático pode provocar uma doença hepática policística que é o surgimento de diversos cistos no órgão. Nessas situações, a dor é constante e afeta a qualidade de vida do paciente.

Como é o tratamento?

Na maioria dos cistos hepáticos, não há a necessidade de tratamento. Assim, apenas os casos em que produzem sintomas ou incômodos graves é que o médico pode indicar o tratamento cirúrgico.

Ainda, o procedimento consiste em remover o cisto ou uma grande parte da parede dele. Para evitar a recorrência, o médico pode retirar todo o seu conteúdo. Geralmente, essa técnica é realizada com laparoscópio.

Enfim, o cisto hepático dificilmente representa um risco de vida para o paciente ou traz algum prejuízo para a sua rotina. Porém, quando diagnosticado, é importante acompanhar o seu desenvolvimento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp