intolerancia ao gluten

Intolerância ao Glúten: O que é e quais os sintomas?

Atualmente se tornou comum encontrar nas prateleiras alimentos com ausência de glúten. 

Embora alguns prefiram essa opção por uma questão estética muscular ou por emagrecimento, muitos padecem pela intolerância a essa proteína encontrada em cereais como a cevada, trigo e centeio. 

Nesse caso, a melhor opção é buscar alimentos que não incluam este componente, sobretudo pelo mal estar consequente ao seu consumo.

Cerca de milhares de pessoas por ano constatam essa intolerância alimentar, mas poucos possuem conhecimento aprofundado sobre suas causas, sintomas e tratamentos possíveis.

O que causa a intolerância?

A intolerância é o resultado de uma resposta imunológica ao glúten, ocasionando uma reação negativa aos alimentos mais comuns do cotidiano da maioria das pessoas, como pães, bolos, macarrão, pizza e salgados, por exemplo. 

Embora não seja uma doença muito grave, ela atinge muitos adultos e crianças por ano causando grande desconforto.

Essa reação alérgica é designada também como intolerância não-celíaca, pois seus sintomas são facilmente confundidos com a doença celíaca, intolerância esta que ao contrário da primeira é grave e ocasiona danos permanentes no intestino, podendo atingir  também as regiões cerebrais. 

Em razão da semelhança dos sintomas a outras enfermidades, muitos pacientes acabam levando anos para conseguir um diagnóstico preciso que acuse uma dessas doenças como causa definitiva, sendo necessário exames de sangue que mostrem a presença de anticorpos provocados pela intolerância. 

Para uma melhor precisão, é indicado também uma endoscopia com biópsia para averiguar a situação intestinal.

Os principais sintomas   

Após comer alimentos constituídos por glúten quem é intolerante logo sente um grande mal estar, principalmente na região do intestino. Isto porque dos principais sintomas a esta reação estão os problemas digestivos, como dores estomacais, inchaço, gases e perda de peso em razão de diarreia.

Outros desconfortos também podem surgir, como dores de cabeça, lesões na pele e muito cansaço após refeição. Consequentemente, esses problemas acabam por influenciar diretamente no humor da pessoa, ocasionando uma oscilação de irritabilidade e ansiedade.

Convivendo com a intolerância

Detectada a intolerância ao glúten não-celíaca por um especialista, o paciente deve reformular consideravelmente sua dieta eliminando qualquer alimento ou bebida que tenha este componente, em especial a farinha de trigo tão comumente utilizada nas mais diversas comidas. 

Para tanto, desde 2003, a lei nº 10.674 torna obrigatório que nos alimentos esteja indicado se há a presença de glúten ou não, cabendo à pessoa se atentar sempre a esse tipo de informação presente nos rótulos.

 Além disso, existe atualmente uma vasta quantidade de alimentos que consegue substituir a função das farinhas de trigo em algumas receitas como é o casa das farinhas de arroz, de coco, de milho, aveia e linhaça; mas também receitas contendo polvilho doce e azedo, fécula de batata e amido de milho podem ser as opções ideais. 

Deste modo, a pessoa diagnosticada com essa intolerância não deve achar que a sua qualidade de vida será diminuta, mas que apenas será necessário estabelecer uma reeducação quanto aos hábitos alimentares, pela qual não exclui novas possibilidades de sabores.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp