insuficiência hepática

Insuficiência Hepática Aguda: como tratar?

O fígado é o segundo maior órgão do corpo. Qualquer alteração na sua função deve ser prontamente analisada e tratada. Em se tratando da Insuficiência Hepática Aguda (IHA) o assunto se torna ainda grave, pois a doença pode causar uma deterioração muito rápida do fígado e o indivíduo pode precisar de um transplante. Este texto apresenta detalhes do diagnóstico e tratamento da IHA e o que se deve fazer caso ocorram os sintomas da doença.

O que é Insuficiência Hepática Aguda?

Insuficiência hepática aguda é uma grave condição que acomete o fígado, causando sua rápida deterioração. Ela pode ser causada por hepatite viral; uso excessivo de paracetamol; consumo de drogas; envenenamento por ingestão de cogumelos não comestíveis; doença de Wilson e síndrome de Budd-Chiari; trombose da veia porta bem como outros inúmeros fatores. De acordo com várias pesquisas, em cerca de 20% dos casos a equipe médica não consegue determinar as razões para o surgimento da doença. Caso a condição não seja diagnosticada rapidamente, a IHA  pode levar a complicações como lesões no cérebro, alterações na coagulação do sangue e até mesmo a morte. Em muitos casos um transplante de fígado pode ser indicado.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas da doença incluem hemorragia, alteração do estado mental, icterícia, púrpura, disfunção motora, taquicardia e hipotensão. Além disso, outras manifestações podem ocorrer, como:
  • hálito com odor adocicado;
  • taquipneia;
  • edema cerebral;
  • bradicardia;
  • hipertensão;
  • infecções.
O diagnóstico é feito com avaliação física e exames de sangue para verificação da função hepática. Também é feito um histórico da ingestão de drogas, exposição a toxinas, uso de medicamentos e até mesmo suplementos naturais. Exames de urina e de imagens, como radiografia do tórax também podem ser solicitados, para avaliar se a doença causou algum dano a outros órgãos.

Como tratar a Insuficiência Hepática Aguda?

O primeiro passo do tratamento é identificar a causa da doença, a fim de determinar o curso da terapia. Na sequência, serão necessários cuidados intensivos para evitar o avanço da IHA e possíveis complicações. Também é bastante comum inserir o indivíduo em uma dieta com restrição de proteína animal. Isso porque o consumo de carne vermelha, queijo e ovos pode contribuir para a disfunção cerebral. O consumo de álcool também é totalmente proibido.

Transplante de fígado

Em casos mais graves, o transplante de fígado pode ser uma opção. A equipe médica deve avaliar se o indivíduo é candidato ou não ao procedimento. Pessoas com danos cerebrais, doenças cardiovasculares, infecções ou sepse, no entanto, não podem se submeter ao transplante. Cerca de 65% dos transplantados sobrevivem após o primeiro ano da cirurgia. Não espere o quadro agravar para procurar ajuda, caso haja manifestação dos sintomas. A doença é séria e pode levar à morte, por isso, a ajuda médica nos primeiros momentos pode ser crucial para o sucesso do tratamento. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp