hérnia umbilical 

Hérnia umbilical – Sintomas, causas e tratamentos

A hérnia umbilical é caracterizada por um estufamento, que pode ser visto ou sentido, no umbigo ou a sua volta. Esse tipo de hérnia se desenvolve quando uma porção de gordura ou de parte do intestino delgado ou grosso aproveitam-se de uma ruptura do músculo da parede abdominal, acumulando-se abaixo na pele, na gordura abdominal.

Normalmente, a hérnia pode ser pressionada de volta para a cavidade do abdômen e volta a sair com a tosse ou esforço que aumente a pressão abdominal.

Causas

Em crianças, ocorre pelo não fechamento do anel umbilical ou por uma malformação congênita da cicatriz umbilical do recém-nascido. É um problema comum e atinge de 10 a 20% de todas as crianças. Nestes casos, não é necessário tratamento específico e devemos aguardar se desaparece sozinha até aos 2 anos de idade.

Nos adultos, em 90% do casos, é um defeito gerado pela fragilidade da parede abdominal, causada por deformidade ou enfraquecimento nas camadas de tecido protetoras dos órgãos internos do abdômen, devido inatividade física, por exemplo.

Pode ser adquirida como resultado do aumento constante da pressão abdominal causada pela obesidade, levantamento de peso, tosse intensa e prolongada ou gestações múltiplas.

Sintomas da hérnia umbilical

O sintoma revelador é um inchaço ou protuberância perto da cicatriz umbilical. Causa dor e desconforto, assim como a hérnia de disco na coluna, por exemplo.

Pode provocar náuseas e vômitos, especialmente quando se faz algum tipo de esforço, como levantar uma caixa pesada ou abaixar para pegar um objeto do chão.

A complicação mais temida da hérnia é o estrangulamento, que ocorre quando o intestino fica preso dentro da hérnia, não podendo mais retornar para o abdômen e, se não for tratado com urgência, ocorre a necrose do intestino.

Esta complicação pode ocorrer tanto em pessoas com hérnia pequena como nas com hérnia grande. O estrangulamento provoca uma dor contínua, mais intensa, de várias horas de duração, no local da hérnia.

O intestino para de funcionar e o paciente pode apresentar estufamento do abdômen, perda do apetite, náuseas e vômitos. Esta complicação necessita de operação de emergência.

Tratamento e cirurgia

A maioria das hérnias umbilicais em bebês vai se resolver sozinha até um ano de idade. Porém, caso não desapareça até os 2 anos deve-se recorrer à cirurgia.

Para as crianças, a cirurgia é normalmente reservada para hérnias umbilicais que são dolorosas, maiores do que 1,5 centímetros de diâmetro, que não diminuam de tamanho ou que prendam os intestinos causando obstrução intestinal.

Para os adultos, a cirurgia da hérnia é normalmente recomendada para evitar possíveis complicações.

Durante a cirurgia, chamada herniorrafia, uma pequena incisão é feita na base do umbigo. O tecido da hérnia é retornado para a cavidade abdominal e a abertura é costurada. Algumas vezes o tratamento cirúrgico em adultos deve incluir o implante de uma tela de proteção para reforço da área fragilizada.

Em geral, somente o procedimento cirúrgico é eficaz para tratar a hérnia umbilical. Qualquer outro recurso poderá, no máximo, atenuar os sintomas. Sem o tratamento adequado, a doença tende a progredir e corre o risco de exigir cirurgia de urgência.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp