Model.

Hérnia epigástrica: sintomas, causas e tratamentos

A hérnia é quando um ou mais órgãos sofrem protusão, ou seja, escapam parcial ou totalmente por um orifício que se abriu nas camadas que protegem os órgãos internos do organismo, mais comuns na região do abdome.

No caso da hérnia epigástrica, ela se forma no abdome, acima da região do umbigo e na linha mediana que divide o abdome em direito e esquerdo e é necessário estar atento aos sinais da doença. Saiba mais sobre os sintomas, causas e tratamentos para essa condição. Acompanhe!

O que causa a hérnia epigástrica?

Por má-formação congênita, excesso de esforço ou enfraquecimento dos músculos e tecidos do organismo humano, pode surgir um orifício nos tecidos, que permite que os órgãos intra-abdominais prolapsem, ou seja, faz com que parte dele deslize pelo orifício, causando a hérnia epigástrica.

Quando essa situação ocorre, é importante procurar um médico, já que pode causar bastante desconforto ao paciente, além do risco de estrangulamento total ou parcial do órgão, que pode gerar necrose, a perda do órgão ou até a morte do paciente. Por isso, é importante estar atento aos sintomas manifestados, que abordamos no tópico a seguir.

Sintomas do paciente com hérnia epigástrica

A gravidade dos sintomas varia com o tamanho da hérnia epgástrica. Em geral, nota-se uma dor na região acima do umbigo, que pode ser moderada a intensa, principalmente quando o paciente realiza algum esforço como tossir, levantar, ou carregar peso. É comum também haver inchaço ou vermelhidão.

Se esses sintomas estiverem acompanhados de vômito, náusea e dor intensa é possível que o órgão esteja em estrangulamento e o paciente deve se dirigir imediatamente ao atendimento de emergência, para evitar a perda do órgão.

Mas lembre-se de que, mesmo que você apresente um ou mais sintomas, nada substitui a avaliação de um médico, que fará o diagnóstico adequado utilizando-se também de outros exames como ultrassonografia e tomografia, e recomendará o tratamento mais adequado.

Como é o tratamento da hérnia epigástrica

Para a cura, costuma ser necessária a cirurgia, acompanhada de medicação recomendada pelo médico e repouso. O tipo de cirurgia depende do tamanho da lesão, como veremos a seguir.

O procedimento menos invasivo, realizado por laparoscopia mediante anestesia geral do paciente, é recomendado em caso de hérnias menores. O músculo afetado é reparado por meio de sutura.

Em lesões maiores, costuma ser realizada a cirurgia por via abdominal, que é mais invasiva. Para reparar a hérnia epigástrica, é colocada uma tela cirúrgica permanente para cobrir o local.

A recuperação da cirurgia costuma levar de duas a quatro semanas, se mantido o repouso necessário e seguidas as demais orientações médicas, como o uso de medicamentos além de evitar ações que geram pressão abdominal, como movimentos súbitos, esforço físico, tosse, entre outros.

É importante salientar que a cirurgia no aparelho digestivo deve ser realizada por médico especializado e que possua credibilidade na área, para que o procedimento ocorra da melhor forma possível.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp