endoscopia

6 mitos e verdades sobre a realização da endoscopia

A endoscopia é um exame essencial para visualizar o interior do esôfago, do estômago e do duodeno, bem como para realizar biópsias e tratamento de alguns problemas, como as úlceras. Apesar de muito difundido e necessário, o procedimento ainda gera dúvidas em muitas pessoas. Pensando nisso, neste artigo, trazemos 6 mitos e verdades sobre o tema. Confira!

1. Fazer endoscopia causa dor

Mito. A passagem do aparelho pela boca e pela orofaringe pode gerar incômodo, porém, como o exame é realizado com o paciente sedado, ele não consegue sentir nenhum nível de dor.

2. Demora muito

Depende. Se o objetivo do exame é apenas investigar possíveis anormalidades que estejam provocando desconfortos estomacais, por exemplo, o tempo é muito rápido. No entanto, se a intenção é realizar algum tratamento, o período aumenta.

3. Não é possível respirar e posso morrer

Mito. O objetivo da endoscopia é, de diversas formas, devolver normalidade ao indivíduo, não matar. Ao contrário do que é perpetuado, é possível respirar, uma vez que o endoscópio é introduzido pela boca e encaminhado ao esôfago, ao passo que o ar penetra pelo nariz, passa pela laringe, traqueia e, por fim, alcança os pulmões. São, portanto, caminhos diferentes.

4. Há dificuldades após o exame

Verdade. É comum que o paciente fique em estado sonolento e um pouco tonto após o procedimento, já que, em geral, a recuperação pós-sedação é gradual. No entanto, se os sintomas continuarem por longos períodos, é necessária uma investigação mais criteriosa, pois é pouco provável que sejam decorrentes do exame.

5. Pode “furar” o estômago

Verdade, mas em partes. A endoscopia, assim como todos os outros procedimentos médicos, é passível de risco, mesmo quando realizada por médicos com muita experiência. Entre as ocorrências possíveis estão sangramentos no local de biópsias ou de retirada de pólipos (polipectomias), reações aos sedativos aplicados, além de perfurações do trato gastrointestinal. Todas podem ser corrigidas.

6. Acompanhante é sempre necessário

Verdade! A razão é um pouco óbvia e tem a ver com o estado pós-sedação do paciente, que pode encontrar dificuldade para andar, tomar decisões rápidas, falar, retornar para casa. Dirigir, então, é muito arriscado. Por isso, a presença de um acompanhante é indispensável, de modo que, sem alguém por perto, o exame não pode ser realizado.

Informe-se

A endoscopia é apenas um dos procedimentos médicos que sofrem interferência dos mitos que são propagados de geração em geração. Se o médico solicitou esse exame para você, é porque, entre outras coisas, faz-se necessário descobrir a causa de determinados problemas e/ou tratá-los.

Resumindo: é tudo para o bem de sua saúde. Desconfiou de alguma informação? Pergunte ao seu médico. Muitas vezes, por se agarrar a mitos, as pessoas não se submetem a exames que podem salvar vidas. Um exemplo parecido com a endoscopia é a colonoscopia, que serve para rastrear o câncer intestinal. Quando o paciente supera o mitos e decide fazer o procedimento, às vezes, é tarde…

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp