Compulsão alimentar

Compulsão alimentar: sintomas, causas e tratamentos

A compulsão alimentar é um distúrbio sério e coloca em risco a saúde e qualidade de vida do indivíduo. É um problema muito comum e causado principalmente por questões psicológicas. 

Quando acontece, a pessoa compulsiva não tem controle sobre o que está comendo e qual a quantidade. Sendo assim, a alimentação é desequilibrada com grande quantidades em pouco tempo, o que compromete o processo digestivo. 

Mesmo sendo um assunto bastante comentado, muitas vezes não é devidamente esclarecido e acaba atrasando o diagnóstico e tratamento. Pensando nisso, confira neste post as causas, sintomas e tratamentos da compulsão alimentar!

O que é compulsão alimentar? 

A compulsão alimentar é um transtorno em que o indivíduo sente uma necessidade insaciável de comer, mesmo não estando com fome. É uma doença mental que faz a pessoa perder o controle, comendo grandes quantidades de alimentos sem ter vontade ou prazer. 

Durante um momento de compulsão a pessoa sente um desejo incontrolável de comer, dessa forma, come grande quantidade em pouco tempo, comprometendo os processos naturais do organismo.

Quais os sintomas? 

Os sintomas da compulsão alimentar começam discretos, mas com o tempo vão se intensificando. É comum que o próprio paciente não perceba que tem o distúrbio, nesse momento, entretanto, pessoas mais próximas percebem que algo está errado. 

Os principais sintomas que se manifestam na compulsão alimentar, são: 

  • comer mais rápido do que o normal;
  • comer quando não está com fome;
  • comer sozinho ou em segredo;
  • continuar comendo mesmo quando já está saciado;
  • oscilações emocionais e sentir-se introvertido.
  • sentir-se triste ou culpado por comer demais;
  • vicio em jogos, bebidas e drogas;

Riscos da compulsão alimentar

A alimentação compulsiva provoca danos sérios ao organismo, seja a curto, médio ou longo prazo. Se alinhado com o sedentarismo, se torna uma situação ainda mais preocupante. 

Os riscos são sérios, como:

  • apneia do sono;
  • cálculo renal;
  • depressão;
  • diabetes tipo 2;
  • diminuição da capacidade respiratória; 
  • gastrite, hérnia de hiato;
  • hipertensão e níveis de colesterol alto;
  • infertilidade;
  • insuficiência cardíaca;
  • obesidade;
  • problemas vasculares.

Quais as causas? 

Fatores biológicos, sociais e principalmente psicológicos podem desencadear a compulsão alimentar. São problemas comuns na rotina de qualquer pessoa, por isso, é importante ficar atento e procurar um médico o quanto antes. 

As principais causas são:

  • comer por conforto emocional;
  • depressão;
  • dieta realizada de forma inadequada;
  • estresse;
  • insatisfação com a aparência – baixa autoestima;
  • problemas emocionais.

Quais são os tratamentos? 

O tratamento da compulsão alimentar deve ser multidisciplinar, ou seja, é necessário ter orientações nutricionais, clínicas e psicológicas. Embora as medicações sejam importantes, cuidar da mente é indispensável para garantir a eficiência do tratamento. 

Geralmente, a reeducação alimentar acompanhada de atividades físicas fazem parte do tratamento, que exige cuidados constantes para eliminar a possibilidade de acontecer quadros de compulsão alimentar em momentos de vulnerabilidade do paciente. 

Devido aos riscos que oferece a saúde, a compulsão alimentar é um problema sério que atinge o individuo de forma silenciosa, afetando todo o convívio social e causando transtornos desagraveis. 

Portanto, se você deseja garantir a sua saúde e se livrar dos riscos da compulsão alimentar, a prevenção é o melhor caminho. Invistam em consultas médicas regulares, adote uma alimentação saudável e pratique exercícios físicos. Assim, os resultados serão surpreendentes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp