cirurgia de vesícula

Pré-operatório da cirurgia de vesícula

Dor e inflamação aguda da vesícula são motivos para procedimento cirúrgico. A causa dessa condição são, principalmente, os cálculos biliares. Estes são calcificações que obstruem e prejudicam o esvaziamento da vesícula biliar. Com menos frequência, a cirurgia é indicada quando há câncer. O procedimento é denominado colecistectomia.

Antes da cirurgia, alguns procedimentos são necessários, como exames e recomendações. Toda a avaliação pré-operatória deve ser individualizada. Somente assim se pode determinar o exame necessário para cada caso. A análise é feita em conjunto, pelo gastrocirurgião e o anestesista que participará da cirurgia.

Exames necessários

Independentemente do indivíduo, dois tipos de exames são essenciais: hemograma completo e cardíacos. A consulta com o anestesista é relevante para que haja ciência dos riscos e conhecimento do procedimento. O pré-operatório depende da condição clínica do indivíduo e da extensão do procedimento a ser realizado. O gastrocirurgião procura diminuir quaisquer chances de morbidade, complicações e mortalidade, durante o procedimento ou no pós-operatório.

Os exames comuns são hemograma, coagulograma, de glicose em jejum, de ureia e de creatinina. Também é preciso o raio-X do tórax, o eletrocardiograma e o risco operatório. Além desses, ainda há necessidade de exames de eletrólitos, como sódio, potássio e cálcio, o TGO, TGP, fosfatase alcalina e gama GT.

Recomendações acerca dos medicamentos

Para a realização desses exames, o médico orienta jejum de sólidos e líquidos, inclusive água, durante algumas horas. É essencial que todo o aparelho digestório esteja limpo, desobstruído, para uma avaliação da real situação da vesícula. Água só está liberada para ingestão de remédios essenciais.

Alguns medicamentos podem prejudicar a cirurgia. O cirurgião estipulará uma data para que a administração deles seja interrompida. Normalmente ocorre uma ou duas semanas antes do procedimento. Os medicamentos suspensos são os que diluem o sangue, pois podem causar hemorragia. Anti-inflamatórios também podem apresentar disfunções.

Promova hábitos saudáveis

Para aqueles que fumam, a recomendação é parar com o hábito ou diminuir o máximo. O tabaco, componente do cigarro, pode causar complicações pulmonares no pós-operatório. É preciso que os tecidos respirem e que haja condições para melhor cicatrização. Álcool e café são substâncias que causam irritação gástrica, por isso recomenda-se que não sejam ingeridas no pré-operatório, a fim de evitar gastrite e úlcera.

Em recomendações gerais, é importante fazer atividade física no pré-operatório. Exercícios de baixo impacto, como fisioterapia, ajudam, colaborando com a respiração e circulação sanguínea. A preocupação abrange higiene, principalmente do umbigo e toda a região abdominal, para evitar dermatite e acúmulo de bactérias ou fungos. A área precisa estar lavada com sabonete neutro e seca.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp