Cirurgia bariátrica

Cirurgia bariátrica: quando realizar?

A preocupação com o peso vem se tornando cada vez mais crescente ao redor do mundo. Muitas pessoas têm procurado com frequência programas de combate à obesidade, uma vez que os índices da doença vêm crescendo de formas alarmantes, trazendo consigo o aumento de riscos à saúde como, por exemplo, problemas cardiovasculares e diabetes.

Por ser uma medida que apresenta resultados de forma rápida, a procura por cirurgias bariátricas tem se intensificado. Porém, é importante saber em que casos a cirurgia é indicada, quais são os riscos relacionados a ela e quais procedimentos devem acompanhar o processo pós cirúrgico.

Para quem a cirurgia bariátrica é indicada?

Existem alguns pré-requisitos que devem ser seguidos para avaliar qual paciente pode recorrer a cirurgia bariátrica. O primeiro deles diz respeito ao IMC, Índice de Massa Corporal, que é medido ao se dividir o peso da pessoa, em quilos, pela sua altura, em metros.

Pessoas com IMC igual ou acima de 40, que se enquadram no fator de obesidade extrema, e falharam em obter sucesso através de dietas e exercícios físicos. Pessoas com IMC entre 35 e 39,9 podem se submeter à cirurgia se tem algum grave problema de saúde relacionado ao seu peso como, por exemplo, diabetes tipo 2, pressão arterial elevada ou apneia grave do sono.

Enquadrando-se em um dos casos acima, há ainda alguns outros fatores que devem ser considerados como, por exemplo, a falta de sucesso em tratamentos clínicos e a quantidade de anos em que a pessoa se enquadra na categoria de obesidade.

A idade também é um fator a ser considerado, uma vez que o Ministério da Saúde determina que adolescentes entre 16 e 18 anos só podem se submeter a cirurgia após serem avaliados por dois profissionais da área, levando em consideração as mudanças ligadas à fase de crescimento.

Quando o procedimento será realizado?

Antes de ser operado, o paciente será analisado a fim de verificar se pode ser enquadrado nos critérios necessários para a realização da cirurgia. A decisão médica tem como base o risco que a cirurgia pode trazer para seu paciente comparada aos benefícios que ela trará.

O paciente precisará ser preparado pelo médico, uma vez que é necessário que ele compreenda a importância de seguir todas as recomendações que serão feitas para poder manter os resultados da operação sem apresentar complicações.

O que fazer após a cirurgia?

O médico explicará quais são os alimentos liberados e quais devem ser evitados após a cirurgia, além de quais procedimentos devem ser tomados. Em um primeiro momento, o paciente poderá ingerir apenas líquidos. Depois, poderá progredir para uma dieta mais pastosa e, por fim, voltar a ingerir sólidos.

É necessária a suplementação vitamínica também, uma vez que o paciente irá ingerir menos alimentos do que antes. A prática de exercícios também deve seguir as orientações médicas, e é importante que o paciente tenha consciência de que a reeducação alimentar será indispensável para manter o resultado da cirurgia e evitar que ele volte a engordar. A cirurgia é um tratamento contra a obesidade, mas deve ser acompanhada de uma mudança de hábitos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp