Close-up of man measuring stomach fat with caliper against gray background

Principais riscos após a cirurgia bariátrica

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), os mais de 4 milhões de brasileiros que recebem indicação de cirurgia bariátrica geralmente sofrem de diabetes mellitus tipo 2, com um Índice de Massa Corporal (IMC) já elevado, entre 35 e 40.

Pacientes com obesidade mórbida, acima de 40, também podem receber a indicação para cirurgia bariátrica; isso vai depender da avaliação profissional.

Neste artigo, trazemos mais informações sobre essa cirurgia. Confira!

Motivo da cirurgia

De acordo com dados da SBCBM, 18,9% dos brasileiros são obesos, sendo que o sobrepeso também afeta cerca de 54% da população. Um número tão alarmante, é possível entender o porquê de o Brasil estar em segundo lugar entre os países de todo o mundo que mais realiza cirurgias bariátricas.

Mesmo sendo um procedimento realizado de forma ampla e reconhecida no país, existem ainda muitos mitos envolvidos quando se trata do pós-operatório.

Riscos da cirurgia bariátrica

Primeiramente, é importante esclarecer que a cirurgia bariátrica realizada na atualidade é bastante evoluída, sendo bem menos invasiva e, portanto, de recuperação cada vez mais breve.

No primeiro dia, o paciente realmente sente dor, como em todos os casos cirúrgicos, porém, no segundo e nos próximos dias, essa dor quase desaparece, isso, claro, quando todo o procedimento corre bem.

Se após a cirurgia, o paciente sentir fortes dores, que não desaparecem mesmo com a administração de analgésicos, tiver frequência cardíaca aumentada, dores no ombro e também vômitos regulares, estes seriam sintomas de algum problema.

Depois da bariátrica, há ainda o risco de fístulas, definidas como conexões irregulares, decorrentes de complicações cirúrgicas (vazamentos nas linhas de grampeamento do estômago) ou ainda a trombose venosa e embolia pulmonar. As fístulas são resolvidas com uma intervenção médica, e a trombose pode ser prevenida com alguns métodos de movimentação do paciente.

Uma recomendação relacionada a esse caso é de que o paciente deve se exercitar. Então, assim que receber alta, ele deve buscar atividades físicas dentro do recomendado pela equipe médica, aumentando a frequência gradativamente.

A qualidade de vida pós-cirúrgica também depende em grande parte do próprio paciente, que, ao seguir as recomendações, aumenta as chances de resultados positivos, cumprindo o propósito da cirurgia.

Como a Medicina, as cirurgias bariátricas evoluíram muito com a tecnologia e, atualmente, os riscos são muito menores e mais raros. Além disso, contar com profissionais preparados e qualificados é sempre importante para prevenir e cuidar de problemas que possam ocorrer.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp