cirrose

Cirrose: quais os tratamentos?

A cirrose é o desfecho de uma cicatrização grave ocorrida no fígado. Ao ser lesionado constantemente, o fígado tenta reparar este dano formando a fibrose, que atua como um tecido próprio à cicatriz. 

Quando a fibrose se dissemina e a situação se agrava, ela produz faixas que obstruem a estrutura interna do órgão resultando na incapacidade regenerativa e, consequentemente, o disfuncionamento do fígado. Isso impossibilita a realização de tarefas primordiais ao organismo, como a emulsificação de gorduras, produção de proteínas e o processamento de nutrientes e medicamentos. 

Causas e sintomas da cirrose

É muito comum que o conhecimento sobre a cirrose seja resumido ao uso abusivo do álcool. Porém, essa doença crônica surge também por meio de outros fatores, como a diabetes, obesidade e hepatite viral crônica (principalmente do tipo B e C). Seu aparecimento pode ser silencioso e gradativo, tornando assim imprescindível um diagnóstico prévio diante da manifestação de seus sintomas.

A pessoa afetada pela cirrose hepática padece com a falta de peso, fraqueza, indisposição, dor abdominal, náuseas e vômitos, perda de apetite, distúrbio endócrino, inchaço nas pernas, aumento do volume da barriga, queda de cabelo e o processo de amarelamento da pele e dos olhos, conhecido como “icterícia”.  

A importância do diagnóstico

Por se tratar de uma doença incurável, o diagnóstico é importante para que o médico possa detectar o estágio de desenvolvimento da doença e a medicação mais adequada para o caso. O diagnóstico pode ser feito por exame de sangue, exame em imagem (ultrassom) e em alguns casos pela biópsia. 

Os tratamentos

Sendo uma doença irreversível, o tratamento da cirrose tem como intuito desacelerar o processo de degradação do fígado, para que se evite a falência total do órgão. Em casos mais graves, recomenda-se o transplante de fígado. Em razão dessas circunstâncias, é sempre muito importante se atentar às medidas preventivas.

A primeira atitude após o diagnóstico é a abstenção total de bebidas alcoólicas. A insistência nesse hábito contribui diretamente para o avanço do falecimento do fígado, ocasionando óbito. Segundo a pesquisa realizada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a taxa de mortes associadas ao álcool foi de 11,7 entre as mulheres e 73,9 entre os homens a cada 100 mil habitantes, na década passada. Atualmente, esses números crescem consideravelmente.

Para os pacientes obesos e diabéticos será condicionado uma dieta livre de gorduras e sal restrito, uma vez que o fígado lesado possui dificuldades na sua metabolização. É necessário também uma rotina de exames para o controle da doença e aparecimento de eventuais nódulos prejudiciais. 

Além disso, a doença pode ser ocasionada pela contaminação do vírus das hepatites B e C. Neste caso, o paciente é instruído a tomar as vacinas. Esse modo de contágio é evitado com o uso de preservativos nas relações sexuais e descarte total de seringas utilizadas. 

Portanto, é importante seguir todas as orientações médicas na rotina de tratamento. A mudança para hábitos saudáveis será sempre o melhor método de prevenção da cirrose. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp