ciriurgia metabólica

6 cuidados no pré-operatório da cirurgia metabólica

A cirurgia metabólica funciona da mesma forma que a cirurgia bariátrica. A diferença, porém, é que a primeira visa ao controle do diabetes tipo 2, enquanto a segunda tem como objetivo a perda de peso e, consequentemente, conter doenças associadas à obesidade, incluindo o diabetes.

Para a realização da cirurgia metabólica, o paciente precisa tomar alguns cuidados. Essas precauções são estabelecidas na avaliação multidisciplinar, que visa identificar as necessidades do indivíduo e detectar ações que podem ser fatores de complicações (orgânicos e psicológicos) na cirurgia e no pós-operatório.

1. Exames

A avaliação laboratorial inclui, entre outros exames, o hemograma, sódio, potássio, ureia, creatinina, glicose em jejum, insulina em jejum, hemoglobina glicada, colesterol total e frações, coagulograma, proteínas total e frações, TGO, TGP, fosfatase alcalina, gama-GT, ácido úrico, T4 livre, TSH, ácido fólico e vitamina B12.

O paciente também precisará fazer endoscopia digestiva alta, ultrassonografia abdominal e espirometria (pulmão). Vale ressaltar que, dependendo do histórico clínico, o médico pode complementar essa lista. Se há suspeita de apneia do sono, por exemplo, a polissonografia pode ser necessária.

Como o diabetes é uma doença que “ataca” vários órgãos/sistemas do corpo humano, é desejável que se avalie possíveis complicações crônicas do desajuste metabólico, como, por exemplo, retinopatia, nefropatia e neuropatia.

2. Perda de peso

Quanto mais próximo ao índice de massa corporal (IMC) ideal, melhores são as condições relacionadas à anestesia geral e à operação. Nesse sentido, o paciente precisa evitar oscilações de peso antes da operação.

3. Consultas

Os exames mencionados ajudam os profissionais que atuam, em conjunto, para o sucesso da cirurgia. No pré-operatório, o paciente precisa ser avaliado por endocrinologista, cirurgião, cardiologista, psiquiatra/psicólogo, nutricionista e anestesista.

4. Documentos

É importante que o paciente leia atentamente o termo de consentimento, documento cujo objetivo é esclarecer os principais riscos e benefícios relacionados à cirurgia, e os pareceres dos médicos.

5. Controle de emoções

É natural que o indivíduo fique ansioso, calculando as possibilidades antes de um procedimento tão sério e complexo. No entanto, é preciso controlar as emoções, porque, como sabemos, mente e corpo são indissociáveis. Além disso, o estresse aumenta o nível de cortisol, substância responsável por elevar a glicose no sangue, causando uma vontade enorme de comer doce.

6. Controle de glicemia

O controle glicêmico adequado ajuda a reduzir o risco de infecção e outras complicações relacionadas ao procedimento cirúrgico. Então, siga todas as recomendações para manter os níveis de açúcar no sangue dentro dos padrões tolerados.

Sinal vermelho

Existem contraindicações ao procedimento, isto é, se estas questões se impõem, a cirurgia não pode acontecer: risco de cetoacidose diabética no pós-operatório; uso abusivo de álcool ou drogas; doença psiquiátrica não controlada; compreensão inadequada das questões envolvidas no tratamento; falta de comprometimento com suplementação nutricional e acompanhamento de longo prazo necessários após a cirurgia metabólica.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp