Câncer de vesícula

Tudo que você precisa saber sobre o câncer de vesícula

A vesícula biliar é um órgão pequeno presente no trato gastrointestinal e responsável por armazenar a bile, uma substância que é produzida no fígado e é liberada durante a digestão.

Quando não há um bom funcionamento da vesícula, alguns sintomas começam a surgir, tais como: cólicas e intolerância alimentar. Além disso, a pessoa pode sentir também enjoos, febre e vômitos.

Normalmente, o câncer de vesícula é assintomático em sua fase inicial. Por isso, é comum que ele seja diagnosticado quando já está na sua fase avançada e possa atingir outros órgãos.

Câncer de vesícula

Uma das principais causas do câncer de vesícula é a inflamação crônica. Isso ocorre quando a pessoa tem cálculos biliares, o que causa a liberação da bile em um ritmo mais lento. Desse modo, as células da vesícula ficam expostas a certos produtos químicos da bile por um maior período, do que costuma ser geralmente. Este processo causa irritação e inflamação.

Além disso, há fatores relacionados à genética, exposição química, histórico familiar, obesidade, idade e gênero que contribuem para o surgimento da doença.

Sintomas do câncer de vesícula

Em geral, o problema não costuma dar sinais quando surge. Por isso, quando os sintomas aparecem, o câncer já pode estar em estado bastante avançado.

A vesícula biliar está localizada abaixo do fígado e por isso, nem sempre é possível diagnosticar o problema apenas com o exame físico.

Para um diagnóstico mais preciso, o médico poderá solicitar uma ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para avaliar o grau de desenvolvimento do câncer.

Em muitos casos, a doença é identificada após a retirada das pedras na vesícula.

Os sintomas comuns da doença são:

  • dor abdominal que pode persistir no lado direito da barriga;
  • inchaço da barriga;
  • enjoos e vômitos frequentes;
  • pele e olhos amarelados;
  • perda de apetite e peso;
  • febre acima de 38ºC persistente.

Como dito anteriormente, os sinais não costumam aparecer de ínicio. Por isso, pessoas com excesso de peso ou que tenham um histórico de pedras na vesícula devem realizar exames a cada 2 anos para avaliar se não há riscos de surgimento da doença.

Tratamento do câncer de vesícula

Assim que a doença for descoberta, torna-se indispensável buscar um tratamento para o combate do câncer. Quanto mais rápido inicia-se o tratamento, melhores resultados podem ser alcançados, evitando o agravamento da enfermidade.

Desta forma, após o diagnóstico o médico avalia a melhor abordagem para a remoção da vesícula biliar. Posteriormente, pode ser necessário iniciar o tratamento com quimioterapia para controlar e evitar o avanço da enfermidade.

Há dois tipos de procedimento utilizados para a remoção do câncer:

  • cirurgia curativa: neste procedimento o médico consegue retirar todo o tumor do órgão comprometido pela doença.
  • cirurgia paliativa: neste caso a remoção do tumor não se torna a melhor opção para o paciente. Sendo assim, ocorre a intervenção cirúrgica para realizar o tratamento e prevenção de futuras complicações do câncer de vesícula.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião do aparelho digestivo em Ilha Solteira e Barretos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp